Ir para conteúdo

Bureau + Insecta <3 Tricoma por Insecta Shoes | Rio de Janeiro, 27.07.17

A Tricoma é uma marca brasileira cheia de cor e atitude que tá aí para questionar e propor soluções para problemas atuais da moda: consumo desenfreado, fast fashion, cadeia produtiva injusta e produção em massa. A Tricoma se define como uma marca política.

Idealizada pela artista plástica Aline Arcuri em 2015, a Tricoma tem três pilares principais: exclusividade, qualidade e originalidade. Os suéters e cardigans da marca são todos sem gênero e vestem quem quiser e gostar, além de serem feitos pra durar, de verdade. As peças feitas em lã acrílica nacional são dupla face, em produções limitadas, sem estoque. Os tricôs são numerados e feitas sob encomenda, pensados um por um.

15727125_643677395811502_2050919904904979079_n

14993311_617274948451747_9221316521913510409_n

Todo esse cuidado já vem do DNA da Tricoma. Na motivação do seu surgimento entram questões de gênero e identidade, modelos de produção e hábitos de consumo de moda. Além do slow fashion, uma das propostas da marca é uma economia descentralizada, mais colaborativa e com uma moda mais humana e sustentável.

Como a Aline gosta de contar, uma das influências da Tricoma são os tricôs vintage comprados em brechós e feiras beneficentes. Ela, que sempre foi frequentadora e garimpeira de peças de segunda mão, não encontrava roupas novas que fossem diferentes e feitas de forma responsável e sustentável. Aí de algumas experiências que deram certo surgiu a Tricoma. Ela prefere despertar o desejo dos consumidores com roupas coloridas, exclusivas e feitas de forma slow, e não com aquele apelo de compre-compre-compre-antes-que-acabe.

Os tricôs da Tricoma são feitos por pequenos produtores em Jacutinga, no sul de Minas Gerais. É com muito orgulho que a Aline conta que passou pelo perrengue de escolher a dedo as malharias, que precisam estar abertas a uma produção menor e mais lenta, ao contrário do esquema da maioria das marcas. Além da qualidade e do cuidado que uma produção menor tem, ela também aquece o mercado dos pequenos produtores.

Um detalhe bacana sobre a marca que acaba influenciando em toda a energia envolvida na criação e na produção das peças é que toda a equipe é budista. Além da Aline, estão por trás da Tricoma alguns dos seus melhores amigos: Gabriela Leme, Uala Vandeik e Rosa Laura. Com essa atmosfera de good vibes e foco em uma moda mais justa para todos, a Tricoma já ganhou espaço não só aqui no Brasil, mas lá fora também. Voa!

14522924_598255737020335_5673762366887667120_n

Fique por dentro e conheça melhor a Tricoma aqui, ó:

http://sptricoma.com/

https://www.instagram.com/sptricoma/

https://www.facebook.com/sptricoma/

.

{Este post é produzido e compartilhado com a Insecta Shoes pelo movimento #FeitoNoBrasil

para blog

logo menos tendencia para posts blog

Bureau + Insecta <3 NAAI por Insecta Shoes | Rio de Janeiro, 25.05.17

As cariocas Aisha e Bruna, idealizadoras da marca NAAI, acreditam no slow fashion como uma maneira sustentável e consciente de entender a Moda. Elas sabem que o mundo pede um novo modelo de consumo e decidiram colocar em prática as suas ideias criando a marca que inspira atitudes mais conscientes.

13725093_1022193391182297_5322305081448681988_o13698235_1022206631180973_3376911070090495473_o

Fundada em 2013, a NAAI trabalha com coleções atemporais, ignorando tendências ou estações impostas pelo calendário comercial. O slow fashion se aplica em todas as etapas da produção: desde a idealização das peças, passando pela sua produção, feita toda no Brasil e com olhar atento das designers. Os materiais usados são naturais, o que dá uma pegada eco-friendly extra a cada peça feita.

Outro diferencial da NAAI é o pensamento a longo prazo. Elas acreditam na memória afetiva da roupa e como ela acompanha a história da pessoa e suas vivências. Elas procuram resgatar com a NAAI a ideia de que as roupas podem passar por gerações, como costumava ser. Assim, toda coleção tem uma peça com garantia vitalícia. Elas garantem acompanhar junto com a dona da roupa toda a sua história, fazendo reparos quando necessário.

13698177_1022209684514001_3398852889671730383_o13692832_1022201981181438_2345330601693058772_o

Ter uma peça da NAAI é pra vida toda. Ou até mais do que isso.

Para saber mais sobre a marca, acesse o site e acompanhe pelo Facebook e Instagram.

.

{Este post é produzido e compartilhado com a Insecta Shoes pelo movimento #FeitoNoBrasil}

para blog

logo menos tendencia para posts blog

 

Bureau + Insecta <3 GLA ACESSÓRIOS por Insecta Shoes | Rio de Janeiro, 27.04.17

ob_2467b9_gla-acessorios-a-study-to-the-sea-arcs

Acessórios e bijus maximalistas, autorais, que misturam elementos orgânicos com formas rígidas e mais parecem obras de arte com um ~quê de vintage. Isso resume muito bem a GLA, marca brasileira criada em 2015 por Frederico Piiu e Marcelo Jarosz.

A estética única das peças da marca vem de um mix de referências muito rico: Piiu é designer de acessórios e tem no currículo marcas como Francesca Giobbi, Bobstore e Cris Barros. Jarosz é artista plástico, e empresta seu o olhar mais artsy e lúdico para o desenvolvimento das coleções. O resultado é uma série de peças com design exagerado, clima vintage e até algumas referências divertidas.

Entre as principais fontes de inspiração da dupla na hora de criar estão as mulheres com personalidade forte. Segundo eles, essas musas podem ser reais ou personagens de ficção. Entre elas, nomes recorrentes são Solange Knowles, Róisín Murphy, Sônia Braga e Leandra Medine – a.k.a. Men Repeller, que por sinal já usou algumas peças da marca. Divas do cinema, em especial o italiano das décadas de 70 e 80 também tem tudo a ver com a estética que eles curtem e entram no hall de inspirações, junto com nomes da música, sempre nessa linha de mulheres poderosas.

Eles trabalham com uma cartela rica de materiais: resina, contas de vidro, lantejoulas, strass, metais, moldes de silicone, acrílico e os famosos cristais Swarovski já foram transformados em acessórios.

tumblr_oi849diCOF1qzkdjdo4_1280

 

Outra coisa que chama atenção na GLA é que apenas 20% da produção é terceirizada. Tudo que pode é feito no ateliê, e mesmo assim, tudo passa pelas mãos dos designers. O fato dos acessórios serem feitos em tiragens limitadas facilita esse cuidado, e as peças são produzidas uma a uma, manualmente.

E por falar em cuidado, a gente não pode deixar de reparar no tamanho dos brincos e pensar que essa peças devem também ser pesadas. É por isso que todos eles são de pressão: pensando na saúde e no conforto de quem vai usar.

Você pode acompanhar a GLA no Instagram da marca, e conferir mais informações no site!

.

{Este post é produzido e compartilhado com a Insecta Shoes pelo movimento #FeitoNoBrasil}

para blog

logo menos tendencia para posts blog