Usando o Storytelling como ferramenta de conexão

Com certeza você já ouviu falar, muitas e muitas vezes, no termo “storytelling“. Mas como funciona na prática? O storytelling nada mais é que a arte de contar histórias relevantes, memoráveis e envolventes. Será que a sua marca compreende e aplica essa poderosa ferramenta na hora de se projetar para o mundo?

Aqui no Bureau, a gente sempre lembra que clientes são pessoas e, naturalmente, o que as pessoas querem é pertencer, encontrar-se no outro e compartilhar valores. E é através do storytelling que se estabelece uma conexão profunda e duradoura entre pessoas e marcas. Sabe aquela sensação gostosa e certeira de pertencimento a um universo muito parecido com o nosso? É bem por aí. Afinal, estamos falando de conexão humana. Por isso, também acreditamos que as histórias devem ser reais, vividas no dia a dia dos embaixadores da marca.

É preciso entender, de uma vez por todas, que marcas não vendem produtos; marcas vendem experiências, um estilo de vida.

Saber como aplicar esse conceito no produto final e comunicar sua essência ao púbico através de uma boa história é o que vai fazer toda a diferença, gerando valor e também retorno financeiro, é claro.

O que a sua marca vende? Recentemente, fizemos um trabalho lindo de Branding com a Karsten que, mergulhando em sua própria identidade, redescobriu aquilo que a move e, dentre tantas coisas valiosas, o seu propósito. Muito além de Cama, Mesa e Banho; a Karsten propaga os bons momentos em família, o aconchego, o conforto, a sensação deliciosa de estar em casa, de receber os amigos para um almoço de domingo… Traduzir o estilo de vida no produto final e na comunicação sem desviar dos valores é o um desafio para qualquer marca. É uma busca muito nobre – e que jornada deliciosa tem sido a da Karsten, que acaba de concluir seu Guia de Marca & Estilo com a gente.

Histórias vivem de narrativas, por isso, é preciso criar um fio condutor e entender a função e o formato de cada mídia ao comunicar cada versão, ou capítulo. Os formatos de comunicação são diversos. Pode ser um vídeo, um post, uma imagem, um cartaz, um infográfico ou até uma resposta por mensagem direta. O importante é manter a linguagem e a coerência entre todas essas vozes, ainda que o meio não seja o mesmo. E claro, é imprescindível ser visual e interativo, aproximar quem segue e admira sua marca.


O retorno é potente e fortalece quem cria e quem segue. Prova disso são marcas como a STAY UGLY e a pakerapakera, que na crista da onda da celebração da diversidade e da importância da representatividade, transformaram suas redes em verdadeiras plataformas de expressão e propagação dos movimentos.

Compreende-se, então, que cada marca lidera um movimento. E quando se lidera um movimento, uma história está sendo contada.

Os personagens são figuras importantes no storytelling, e o motivo do sucesso de muitas marcas novatas é justamente a atitude de chamar pessoas reais que de fato vivem naquele universo.

A americana Apiece Apart cumpre o que o próprio nome sugere e é de fato, fora da caixa. Em sua bio do Instagram, ela diz que cultiva peças versáteis e descomplicadas, assim como as mulheres que as vestem. Seguindo essa filosofia, suas imagens retratam mulheres de diferentes idades e corpos, de pés descalços ou com um look confortável, pensado sem esforço, sempre envoltas pela natureza ou em lugares acolhedores. É visualmente lindo e, principalmente, sincero.

Outra marca brasileira que manda super bem na comunicação de seu universo e no engajamento com o público é a nossa querida Insecta Shoes. O blog da Insecta é uma extensão de tudo aquilo que a marca acredita, enquanto no Instagram, pílulas de estilo com destaque para os produtos se misturam com as pílulas de conscientização sem esforço algum. Naturalmente, isso é o que a marca vive todos os dias.

O storytelling é uma prática antiga e até muito natural. O primeiro passo não é correr para aplicá-la à comunicação, mas questionar se a sua marca está de fato contando a sua verdadeira história e se conectando com as pessoas certas.

Seja no marketing digital ou na abordagem direta no ato da venda, a marca nunca precisará ser exageradamente apelativa se estiver alinhada à sua verdadeira essência, pois a conexão será feita de forma orgânica, sem esforço, de coração para coração.

Sua marca ativa o Storytelling? Chama a gente pra conversar!

Tags:
Carol Lancelloti

Carol Lancelloti

Carioca, formada em Moda, criativa em essência e comunicadora. Capricorniana com ascendente em Touro, abraça o mundo e faz de tudo um pouco: é fotógrafa mas também escreve, captura e edita, realiza e sonha. Bailarina e crazy cat lady nas horas vagas.

Deixe um comentário

O que fazemos

Branding

Consultoria de Estilo

Palestras

Vivências para inovação

Pesquisa

Projetos especiais

Criável

RIOetc

Receba nossas news