60 Anos de Bossa Nova: As Capas do Selo Elenco

Por aqui, a gente fala muito sobre a importância da assinatura de marca. Costumamos dizer que as marcas mais consistentes e reconhecidas são aquelas que possuem um estilo proprietário, que ultrapassa qualquer tipo de modismo.

Uma boa assinatura de marca é aquela que, só de olhar, a gente já identifica a autoria. Pode ser através de uma cor icônica, um shape, um tecido, uma estampa única, uma determinada maneira de agir, fotografar, dirigir, vestir. Assinatura está presente em tudo: na Moda, no Design, na Arte, na Tecnologia, na Arquitetura, na Gastronomia, na Música, no Cinema… Pra identificar um bom estilista, muitas vezes, não é preciso de uma logomarca exposta. Pense no vermelho Valentino, nas estampas tropicais de Zuzu Angel, no psicodelismo de Pucci, no tailleur Chanel, no smoking Saint Laurent. Na arquitetura, pense nas linhas minimalistas de Oscar Niemeyer. Nas artes, no azul de Yves Klein, nos azulejos de Athos Bulcão, nas bolas de Yayoi Kusama. No cinema, temos a simetria e a paleta de cores de Wes Anderson, o estilo sombrio e sensível de Tim Burton. Estes são apenas alguns exemplos facilmente reconhecíveis.

Passada a reflexão, a gente gostaria de abordar um tema muito especial. Hoje, a Bossa Nova completa 60 anos, desde a estreia de Chega de Saudade, do João Gilberto. Foi nessa ocasião que ele lançou pro mundo um estilo inconfundível de tocar e cantar, celebrado até os dias de hoje. Só que dessa vez, a gente não vai falar do João, apesar dele ser um belo exemplo de assinatura de marca. ;) Pra comemorar a data, vamos falar de outro lado da Bossa, o da estética visual, através do discos marcantes lançados pelo selo Elenco, de Aloysio de Oliveira.

A identidade visual do selo que lançou diversos talentos no auge da Bossa Nova, foi idealizada pelo designer César Villela, criador de um estilo icônico, seguindo a linha ideológica da própria Bossa, cujo estilo sonoro era simples, moderno e sem rodeios. César achava as vitrines de discos da época  confusas, com muitas estéticas misturadas. A ideia era simplificar, fazendo com que os discos da Elenco se sobressaíssem em meio a tanta poluição visual.

A fórmula das capas da Elenco era assim: fundo branco, fotos em alto contraste e um toque de vermelho, geralmente, pontuado por pequenos círculos. Normalmente, César utilizava quatro círculos, pois naquela época ele andava lendo muito sobre espiritualidade, e o número 4, segundo a Cabala, representava harmonia, o que tinha tudo a ver com a Música. O estilo era uma extensão do próprio logotipo do selo, que também era representado por um círculo vermelho. Assim, facilmente podíamos identificar um LP da Elenco.

 

O conceito gráfico criado por César permanece atemporal e inesquecível até os dias de hoje. Atualmente, com o mercado dos discos em alta, os LPs minimalistas e elegantes da Elenco tornaram-se verdadeiros itens de colecionador.

E você? Qual é a assinatura da sua marca? Que peça, cor, estilo e jeito único só você tem e irradia pro mundo? Pensa nisso! ;)


#SuaMarcaMaisForte

Marina Giustino

Marina Giustino

Marina Giustino é a nossa Pesquisadora de Moda mezzo brasileira/ mezzo italiana. Sol em Peixes com ascendente em Escorpião, é apaixonada por cores, listras, poás, bananas, História da Moda, Arte, Música e açaí com granola.

Deixe um comentário

O que fazemos

Branding

Consultoria de Estilo

Palestras

Vivências para inovação

Pesquisa

Projetos especiais

Criável

RIOetc

Receba nossas news