Ir para conteúdo

Worquechoque Salsa por | Rio de Janeiro, 09.10.17

Recentemente, o Bureau aterrissou na Europa pra começar oficialmente um projeto lindo de estratégia de marca à convite da Salsa. A marca portuguesa é referência em jeanswear há mais de 20 anos, com pontos de venda por toda a Europa, Oriente Médio e África. O jeans Salsa possui modelagens impecáveis, que valorizam o corpo feminino de um jeito sem igual, o que a torna uma das líderes em fitting no mundo.

Ao lado das lideranças estratégicas da Salsa, na sua sede, em Braga (coladinha no Porto), facilitamos um “workchoque” criativo, mergulhando fundo na essência e nos pilares da marca.

Ainda vem muito trabalho por aí! Nos próximos meses, vamos ajudar a traçar um novo posicionamento, diretrizes de comunicação, produto e estilo de vida. E você vai acompanhar todos os passos desse projeto por aqui. ;)

Enquanto isso, confere os cliques do nosso encontro com eles no mês de setembro:

IMG_6801IMG_6815IMG_7235IMG_6835IMG_6873IMG_6919IMG_6842IMG_6840IMG_6823IMG_6928

 

logo menos tendencia para posts blog

Bureau + Insecta <3 JOO por | Rio de Janeiro, 05.10.17

IMG_7859-683x1024

Por muito tempo as “peças de baixo” foram castigadas. Tinham que ficar escondidinhas sob outras camadas de roupa, sem graça e, muitas vezes, com pouco conforto. Mas, felizmente, hoje temos marcas como a JOO, que propõem trazer as peças íntimas para “cima”. Chega de ficar escondida. A marca brasileira de underwear dá um novo olhar a tops, hotpants e bodies, fazendo com que apareçam e sejam tão importantes quanto as outras roupas da produção. Com um slogan de “Underclothes + Life”, fica bem claro que essa é muito mais do que uma marca de calcinhas e sutiãs. A JOO tem uma proposta de lifestyle cheio de empoderamento que vem junto com cada peça produzida.

Sob o comando da estilista Jo Oenning, a marca procura uma abordagem diferente do corpo feminino. O olhar é mais expressivo e valoriza as formas e contornos do corpo através de design. E é esse design o carro-chefe da JOO, que chama tanto atenção. Entre rendas, tules, bordados, transparências e tiras com recortes estratégicos, cada peça transmite essa atmosfera elegante, mas descontraída, com espaço para ser ao mesmo tempo uma mulher poderosa e divertida. Dessas que não tem medo de deixar o sutiã à mostra – e pelo contrário, coloca ele pra fora sim, porque é bonito e tem que aparecer.

IMG_8177-683x1024

IMG_8440-683x1024

De “peça de baixo” pra estrela da produção, os tops, bodies e hotpants da JOO já ganharam também acompanhamentos como saias e kaftans transparentes. Tudo pensado pra fechar um look completo e fazer bonito de conjuntinho mesmo. Todas as peças são feitas com materiais especiais e delicados, que valorizam o toque e possuem uma aparência leve. Daquelas que só de ver a foto a gente chega a sentir que é quase um carinho na pele, sabe?

Entre as referências da marca a gente percebe que estão coisas simples da vida, com uma pegada minimalista, como detalhes da natureza, folhas, flores. A arte tem um papel importante na comunicação da marca e é também transmitida nas peças. Mas, acima de tudo e antes de qualquer coisa, a JOO pensa no corpo feminino como base para criação. São as formas e contornos da mulher que inspiram as peças, carregadas de uma feminilidade contemporânea, diferente. As mulheres da JOO são aquele mix equilibrado entre delicadeza e força, sem ser clichê e sem pender para nenhum lado, pois o ser feminino é diferente para cada uma.

batch_IMG_3545

Pra conhecer melhor todas as peças da JOO e, de quebra, ter um banho de inspiração, acompanha lá no Instagram. Tem também site página pra curtir e saber mais.

.

{Este post é produzido e compartilhado com a Insecta Shoes pelo movimento #FeitoNoBrasil

para bloglogo menos tendencia para posts blog

3 coisas que você precisa saber essa semana por | Rio de Janeiro, 26.09.17

1 – A volta da Fiorucci:

A icônica marca italiana está de volta, sob nova direção, com linguagem atual e pra lá de cool. A Fiorucci trouxe o clima da swingging London pras ruas de Milão no final dos anos 60. Fundada por Elio Fiorucci, a marca foi sinônimo de irreverência, sexappeal e ousadia, alcançando seu auge na década de 80. Sua volta ilustra perfeitamente a onda de resgate de marcas do passado que por algum motivo, ao longo de sua história, acabaram se tornando kitsch ou populares demais, caindo em total declínio e esquecimento. A história começou em 2016, quando a Vetements colocou na passarela da Alta Costura de Paris marcas como Juicy Couture e Champion. Um pouco antes, a gente viu a Fila e a Kappa se tornarem cool novamente com a história do athleisure e das logos em evidência. Sim, as logos de marcas old school (não necessariamente de Moda) estampando bonés e camisetas da galera mais jovem e urbana continua muito forte. Lembra da turma fazendo upcycling com as sacolas da Ikea? Quanto mais tosco, mais cult. ;) E, olha, não vai demorar muito pra gente ver uma galera desfilando por aí o icônico casal de anjinhos da Fiorucci. Nessa onda de resgate, a gente amaria muito ver por aqui a volta de marcas como a Company e a Gang. Seria o máximo!

0917_GeorgiaByTheSeaside_3row-1_col-2-min

fiorucci2

.

2 – Beta, a robô feminista:

Uma robô feminista que ajuda mulheres a lutarem pelos seus direitos. Sim, ela existe e é brasileira. Seu nome é Beta. :) Através do Facebook Messenger, a Beta mobiliza internautas sobre pautas relacionadas aos direitos da mulheres e responde diversas perguntas relacionadas ao feminismo. Basta acessar a página da Beta e mandar um alô no inbox. Prontamente você será respondid@ por ela. Seguindo parâmetros pré-programados, a robô vai te informar sobre assuntos que estão em pauta na luta feminista, eventos e projetos de lei pra que você possa participar ativamente de campanhas. A ideia maravilhosa partiu do Nossas, laboratório de ativismo digital formado por programadoras mulheres.

beta

.

3 – O melhor curriculum que você vai ver hoje:

Quem foi que disse que estética de curriculum precisa ser aquela coisa sem graça escrita em Times New Roman? Em se tratando de profissões criativas, legal mesmo é poder fazer diferente. Se houvesse um concurso de curriculums originais, o prêmio, certamente, iria pro designer galês Andy Morris. Aficionado por Lego, ele montou várias miniaturas de si mesmo e bolou embalagens geniais com o conteúdo de seu curriculum pra distribuir por agências de Design e Publicidade na esperança de conseguir um novo emprego. Se ele conseguiu a vaga ou não, a gente não sabe, mas que ele é muito criativo, isso ele é. ;)

lego-cv-andy-morris-14

lego-cv-andy-morris-15